Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Noite de reis

Noite de reis

Teatro & Arte | Teatro

T. M. Joaquim Benite

Sala Principal
Classificação Etária
Maiores de 12 anos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2020
abr
17
a
2020
mai
17
Cancelado

Promotor

Teatro Municipal Joaquim Benite

Breve Introdução

Composta por William Shakespeare (1564-1616) possivelmente em 1601, esta comédia terá sido representada pela primeira vez em 1602, integrada nas festividades da Candelária (celebração católica que sobreviveu à Reforma), satirizando numas tábuas de teatro isabelino os sempiternos bons sentimentos humanos. A décima segunda noite referenciada no título original (Twelfth Night, Or What You Will Noite de Reis, ou como lhe queiram chamar) é a que encerra o ciclo festivo do Natal, a 6 de Janeiro.

Numa tempestuosa descrição literária sobre o impacto do conjunto da obra de Shakespeare no devir da Humanidade, Stefan Zweig considerou que esta foi arremessada em direcção a todas as épocas e a todos os recantos do coração humano. Sobre Noite de Reis, António M. Feijó escreveu no prefácio à sua tradução da peça: A situação central dramatiza uma série de enganos: Violeta, uma rapariga disfarçada de pajem, intercede em nome do Duque Orsino junto de Olívia para que esta aceda em casar com ele; Olívia, no entanto, apaixona-se pelo mensageiro, acabando por casar-se com Sebastião, o entretanto aparecido irmão gémeo de Violeta. Na sua História da literatura inglesa, Jorge de Sena escrevera: Comédia de equívocos e travestis, em que a personagem de Malvolio é não só a risonha caricatura do puritano, mas também a do burguês virtuoso e pedante.

Peter Kleinert foi dramaturgista e encenador em vários teatros da antiga República Democrática Alemã. Director do Departamento de Encenação da Escola Ernst Busch, em Berlim, encena desde 2011 espectáculos com os estudantes dessa instituição na conceituada Schaubühne. Em 2018, encenou para a CTA uma versão disruptiva de A boa alma de Sé-Chuão, de Bertolt Brecht.

Ficha Artística

Texto de William Shakespeare
Encenação de Peter Kleinert

Intérpretes André Pardal, Beatriz Godinho, Carolina Dominguez, Érica Rodrigues, Ivo Marçal, João Farraia, João Tempera, Leonor Alecrim, Pedro Walter, Teresa Gafeira
Tradução António M. Feijó
Cenografia Celine Demars
Figurinos Ana Paula Rocha
Luz Guilherme Frazão

Informações Adicionais

Descontos para menores 25 e maiores de 65 disponiveis na bilheteira do TMJB

Preços

  • Plateia - 13€

Transportes Públicos

Metro Sul do Tejo
TST

-
Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda:

Quarteto Ibéria

Música & Festivais | Clássica

T. M. Joaquim Benite

Sala Experimental

Verdi que te quero Verdi

Teatro & Arte | Infantil

T. M. Joaquim Benite

Sala Experimental