Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
ESTAÇÃO SECA (SAISON SÈCHE)

ESTAÇÃO SECA (SAISON SÈCHE)

Teatro & Arte | Dança

T. M. Joaquim Benite

Sala Principal
Classificação Etária
Maiores de 12 anos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2019
jul
13
a
2019
jul
14
Realizado

Duração

90 minutos

Promotor

Teatro Municipal Joaquim Benite

Breve Introdução

SAISON SÈCHE
Estação Seca

Encenação e dramaturgia de Phia Ménard e Jean-Luc Beaujault

COMPAGNIE NON NOVA (Nantes, França)
Co-produção: Festival dAvignon, La Criée Théâtre national de Marseille, Théâtre des Quatre Saisons, Scène conventionnée Musique(s) Gradignan (33), le Grand T, Théâtre de Loire-Atlantique à Nantes, la MC93, maison de la culture de Seine-Saint-Denis, Bobigny et le Théâtre de la Ville Paris, Bonlieu scène nationale dAnnecy,
TANDEM Scène nationale Arras et Douai e Scène nationale dOrléans.

Espectáculo-ritual, reúne sete mulheres incumbidas de destruir o espaço-prisão do poder masculino e é constituído por cinco cenas: um prólogo, uma submissão, um nascimento, um combate e um epílogo. O tema central: as relações de poder entre os seres. Como derrubar um poder sabendo que quem o detém não o entregará sem resistência? A espreitar no processo de criação e em cena , como um estilhaço da Antiguidade aqui chegado pela transmissão de uma cultura, a batalha de Lisístrata (ou a greve ao sexo das atenieneses), de Aristófanes. Peça do Ciclo da Água e do Vapor que parte de um longo programa que trabalha cenicamente, com enorme originalidade, a relação entre os elementos e os comportamentos humanos , estreou no Festival de Avignon de 2018.

Phia Ménard (n. 1971) estudou dança contemporânea, técnicas de mimo e malabarismo, assinando numerosas peças de grande singularidade, marcadas pelo cruzamento entre as artes do palco e o pensamento sociológico e antropológico. Em 1998 fundou a sua companhia (que se apresentou já em dezenas de países). O seu trabalho, pluridisciplinar e inclusivo de todas as áreas da actividade humana, já foi apresentado em museus de História Natural. Em 2014 foi distinguida com a Ordem das Artes e das Letras pelo Ministério da Cultura de França.

DURAÇÃO:
1h30

CLASSIFICAÇÃO:
M/12

Ficha Artística

CENOGRAFIA
Phia Ménard
DESENHO DE LUZ
Laïs Foulc
OPERAÇÃO DE LUZ
Olivier Tessier
COMPOSIÇÃO SONORA E OPERAÇÃO DE SOM
Ivan Roussel
FIGURINOS E ACESSÓRIOS
Fabrice Ilia Leroy
EXECUÇÃO CENÁRIO E ACESSÓRIOS
Philippe Ragot
INTERPRETAÇÃO
Amandine Vandroth
Anna Gaïotti
Elise Legros
Jeanne Vallauri
Marlène Rostaing
Marion Blondeau
Marion Parpirolles
Phia Ménard
RÉGIE
Benoît Desnos
Mateo Provost
Rodolphe Thibaud
DIRECÇÃO RÉGIE
Olivier Gicquiaud
PRODUÇÃO
Clarisse Mérot

Preços

  • Fosso Orquestra - 15€
  • Plateia - 15€

Transportes Públicos

Metro Sul do Tejo
TST

Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda:

Rita Redshoes

Música & Festivais | Concerto

T. M. Joaquim Benite

Sala Principal

Bella Figura

Teatro & Arte | Teatro

T. M. Joaquim Benite

Sala Principal